Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Saúde e Vida

Blog dedicado a notícias e conselhos sobre saúde, doenças e uma vida saudável!

Saúde e Vida

Blog dedicado a notícias e conselhos sobre saúde, doenças e uma vida saudável!

Apanhar pouco sol aumenta risco de cancro

 

                                                 

Se apanhar muito sol aumenta o risco de cancro e apanhar pouco sol também aumenta o risco de contrair cancro. Um grupo de investigadores efectuou um estudo onde examinaram a vida de 90 000 dinamarqueses, onde periodicamente efectuaram análises ao sangue e avaliaram o estilo de vida e dieta.


Os que possuíam uma menor percentagem de vitamina D (que é produzida pelo contacto do sol com a pele e dieta), possuíam 40% mais de probabilidades de contrair cancro. Apesar de ainda não existir um consenso quantidade de sol em contacto com a pele necessária para sintetizar vitamina D, é de cerca 30 minutos em países como a Inglaterra e de 15 a 20 minutos países com mais sol, como Portugal. O protector solar, apesar de proteger contra o cancro também diminui a produção de vitamina D


Estudos anteriores estabelecem relações entre doses baixas de vitamina D com aumento de taxas de mortalidade.É um facto que a deficiência de vitamina D possa ser um excelente marcador de estilos de vida menos saudáveis.


Pela primeira vez os investigadores provaram que a deficiência de vitamina D está na causa do aumento de taxas de mortalidade. Das pessoas estudadas com deficiência de vitamina D, 30% tinham probabilidade de morrer comparativamente às que tinha níveis adequados de vitamina D no plasma. Esse risco aumenta para 40% relativamente a contrair cancros, sugerindo que a vitamina D possui um factor protector, prevenindo o crescimento tumoral.


Existem alimentos mais ricos do que outros em vitamina D. Por ordem decrescente temos a sardinha fresca, salmão, sardinha enlatada, atum fresco e carapau. Provavelmente há quem se lembre do famoso óleo de fígado de bacalhau que se bebia à colher e que sempre que era suposto ser bebido era um autentico filme de terror.

 

 

Fontes: British Medical Journal via The Telegraph, Visão.pt

Foto: Visão.pt

Lentes de contacto: como evitar infecções oculares

 

Milhares de portugueses usam lentes de contacto. Infelizmente muitos cometem erros no seu uso que acabam levando-os ao médico, quando tal poderia ser evitado. Usar as lentes por muito tempo, não limpá-las adequadamente  faz com que haja muitos casos de infecções oculares. Estas infecções são conhecidas como ceratite ou queratite é uma infecção da córnea, a cúpula transparente que cobre a parte colorida do olho. A ceratite pode causar dor e inflamação e em casos graves a cegueira.

As lentes de contato oferecem muitos benefícios, mas não são livres de risco. Com alguns cuidados a ceratite é evitável, basta ter hábitos saudáveis e cuidar dos seus olhos e das suas lentes.

Alguns maus hábitos, como dormir com as lentes de contacto, deixando de limpar e substituir solução para lentes com frequência, deixar as lentes de contato molharem-se ao nadar ou no duche, aumenta muito o risco.

Se ceratite não for tratada com rapidez e eficácia, provoca cicatrizes na córnea, o que interfere com a visão. E se não for tratada, pode perfurar a córnea e no pior dos casos, a visão pode ser perdida. O reconhecimento e tratamento imediato é essencial. Os doentes estão quase sempre cientes do problema, uma vez que este provoca dor significativa e visão turva.

Práticas limpeza deficientes podem causar a contaminação das lentes de contato e aumentar drasticamente o risco de ceratite, no entanto, esse risco pode ser minimizado. Nunca manter as lentes de contato nos olhos durante a noite e muito cuidado com as técnicas de limpeza e armazenamento.

Para evitar ceratite recomenda-se:

     -Lavar as mãos com água e sabão antes de tocar as lentes de contato,
     -Remover as lentes de contacto antes de dormir, tomar banho ou nadar,
     -Esfregar e enxaguar contatos em solução desinfetante depois de retirar dos olhos,
    - Esfregar e enxaguar a caixa das lentes de contatos com a solução para lentes de contato,  secando virada para baixo com as tampas abertas,
     -Substituir caixas de lente, pelo menos a cada três meses.

Afinal parece fácil, basta criar o hábito!

Surto de Legionelose: O que é a Legionella e como evitar.

A Legionella é uma bactéria que origina a Legionelose ou doença do legionário. A Legionelose é uma pneumonia atípica, pode aparecer de uma forma menos grave também conhecida como doença de pontiac.

 

A Legionella Pneumophyla é um parasita que infecta as amebas e reproduz-se no interior das mesmas. A Legionella necessita de meio aquático quente para se multiplicar, tolera temperaturas até 63º e alguns desinfectantes como a lixívia ou o cloro das piscinas. Geralmente é encontrada em piscinas de água quente, spas, sistemas de ar condicionado, jacuzzis, duches, águas quentes sanitárias, balneários, humidificadores e condensadores de evaporação.

 

Na Ilha Graciosa em 2013 foi identificado um doente com legionelose que estava hospedado no Graciosa Retort & Business Hotel. Sorte foi ter sido o unico hospeda durante a estadia. Como foram tomadas todas as medidas de precaução apenas foi infectada uma pessoa.

 

A transmissão dá-se por inalação de vapor de água ou poeiras contendo a bactéria. Não é transmíssivel de pessoa a pessoa. Por esta razão as infecções são localizadas a uma área geográfica visto geralmente darem-se através de uma fonte de água comunitária. Por esta razão, a direcção geral de saúde recomenda a não utilização de duches ou torneiras com grande pressão e quem possuir termoacumuladores colocar a temperatua acima dos 75 graus. Deve-se evitar até a detecção da fonte da bactéria balneários ou piscinas públicas.

 

A incubação da legionella no corpo humano dura entre dois a dez dias. Surge como pneumonia multifocal necrotizante, com micro abcessos e é detectada através da história clínica e RX, que é confirmada por exames à urina e expectoração.

 

O individuo infectado sente:

  • Febre,
  • Tremores,
  • Tosse seca,
  • Dor muscular,
  • Dor no peito,
  • Náusea e vômito,
  • Dor muscular,
  • Respiração acelerada.

Com o avançar da doença surgem as complicações:

  • Insuficiência respiratória,
  • Insuficiência renal,
  • Bacteremia,
  • Estado alterado de consciência,
  • Desidratação,
  • Coma,
  • Morte.

O surto mais recente de legionelose, segundo o Jornal de Notícias está localizado nas zonas de Forte da Casa, Vialonga e póvoa de Santa Iria.

Se viver nas zonas infectadas e apresentar algum dos sintomas acima descritos dirija-se à sua unidade de saúde.

 

 

 

 

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

subscrever feeds